logo-png

QUEM SOU

Olá, sou a Barbara Penna. No dia 7 de novembro de 2013, no bairro Lindóia, em Porto Alegre, eu fui vítima de uma das maiores tragédias familiares do Brasil. Fui espancada, queimada viva e jogada ainda em chamas pela janela do 3°andar pelo meu ex-namorado, João Guatimozin Moojen Neto, que não aceitava minha independência financeira e minha decisão por não querer voltar com o relacionamento. Além de ter passado por inúmeras cirurgias reparadoras e reconstrutoras, a maior dor que carrego é a dor de ter perdido meus dois filhos no incêndio. Isadora, de 2 anos, e Henrique, de 3 meses foram assassinados pelas mãos do próprio pai. Um idoso morador do prédio, o seu Ênio, também faleceu ao se intoxicar com a fumaça.

MINHA LUTA

A partir da minha experiência e dos relatos das vítimas que me procuram, identificamos diversas falhas nas redes de proteção às mulheres e a omissão pública governamental.
A Lei Maria da Penha é FALHA e INEFICIENTE. Não nos protege! Convivemos com um sistema OMISSO, que compactua com o aumento das estatísticas diárias.
De vítima à ativista, hoje eu lidero uma luta pela reformulação da Lei Maria da Penha (11.340/06).

Em nome inúmeras famílias que foram destruídas, pelos filhos órfãos de mães e por cada mulher que foi assassinada pelas mãos de seus agressores, é que solicito teu apoio para as efetivas alterações da Lei Maria da penha. Junte-se a nós!

GALERIA DE FOTOS

CONTATOS

Envie a sua sugestão e diga o que você mudaria na Lei Maria da Penha

© 2022 Barbara Penna